Voltar
Sepitma

“Realizadora é dotada de uma maturidade cinematográfica imensa”

Por Mário Oliveira

“A realizadora é dotada de uma maturidade cinematográfica imensa, criando uma enorme empatia entre o filme e o espectador fazendo com que fosse simples e tão forte tocar cada pessoa dentro da sala. O silêncio da sala era assombroso, conseguia-se ouvir o som das gargantas a engolirem em seco, ninguém desviava o olhar da tela, não para perceber o plot twist ou dessas coisas que parece que hoje em dia é o que interessam, simplesmente estávamos todos a assistir a uma peça documental histórica que nos atira vertiginosamente para a realidade triste, mas crua de uma democracia em declínio.”

Visitar publicação original